segunda-feira, dezembro 05, 2005

O Pinheiro...

Depois de uma longa paragem na escrita, a qual aproveitei para ampliar a minha plantação de micoses nos Himalaias, eis que o maior narrador épico da caça ao monstro da monogamia voltou!! (Palminhas) Pois meus amigos, o tema desta narrativa é o pinheiro, aquela festa que as gentes de Guimarães tanto gostam. Trata-se de uma festa em que se enterra um pinheiro, esgalhado e por vezes descascado, no mesmo sítio todos os anos! Isto não é mais que um ritual monogâmico regado com muito alcool, pois pinheiro que é pinheiro está de pé, e não deitado, pinheiro que é pinheiro não precisa de bois para o transportar vai pelos próprios pés, e não se deixa enterrar só uma vez por ano, e ainda por cima no mesmo sítio, atrás da igreja! E ainda por cima, todo este ritual desenvolve-se com uma multidão de gente armada em campinos e tocar caixa e bombo, tal ritual promíscuo só pode ser fruto de uma temível mensagem subliminar enviada pelo nosso monstro:"enterrem todos os anos no mesmo buraco (o pinheiro)", por isso os defensores da plurigamia têm de lutar contra todos os pinheiros, antes que nasça um pinheiro no nosso quintal!!

1 comentário:

O Nicolino disse...

Vê lá e se com a caça aos monstros não te distrais e as gentes de guimarães não te enfiam 1 pinheiro no cu :D